pai, uma carta para você

“toda pessoa tem de enfrentar as realidades práticas da vida — suas oportunidades, suas responsabilidades, suas derrotas e seus triunfos. como ela encarará essas experiências, e se haverá de tornar-se senhora ou vítima das circunstâncias, depende em grande parte
de sua preparação para enfrentá-las — sua educação.” trecho retirado do livro Educação da escritora americana Ellen G. White.

as vezes no dia dos pais eu recebo parabéns por ser pai e mãe do meu filho. a nossa comunidade estimula essa compreensão, faz parte da nossa cultura. na semana passada, ouvi alguns os comerciantes parabenizando as mulheres que são pais. aquelas mulheres que constroem um lar sem seu parceiro, sem o pai dos filhos, que sou eu.

aprendi que há um sútil engano nessa afirmação, que muitas vezes me levou a olhar para mim mesmo como super-mulher, mulher autosuficiente, fodona, que não precisa nem da pensão do homem para bancar o filho. essa afirmação equivocada afetou diretamente meu orgulho. trouxe prejuízos importantes, me fez viver uma vida de faz de conta, desligada da realidade. cheia daquelas justificativas que me conto e repito para os outros depois, quando na realidade fiquei mesmo sem chão, desorientada sem saber como fazer para dar conta do recado. sem saber se conseguiria oferecer tudo o que o meu filho precisa sem a presença do pai. imaginei quantos prejuízos amargaria, me perguntei se saberia formar um homem.

passei a vida assistindo você cuidar da minha mãe com dedicação fora do comum, trabalhando muito, construindo, descontruindo, ajudando pessoas, fazendo as vontades dos netos, buscando soluções para o que parece sem saída, insistindo e persistindo, sendo paciente e impaciente, perdoando e sendo perdoado, escolhendo estratégias, sendo durão, chorando de emoção, se divertindo, se recolhendo, preocupado conosco, dedicado a família… enfim…  vi um homem sendo construído e transformado por Deus.

meu pai, você me ensinou ser uma mulher forte e destemida. curiosa, empreendedora. teimosa, carinhosa, disponível, brava, insistente, persistente, paciente, impaciente, estrategista também.

Deus colocou em meu coração que eu precisaria de modelos para me ajudar a construir o caráter de um homem. Ele te preparou para ser o meu modelo para me formar e agora é o modelo do meu filho para formá-lo homem.

aqui com vocês senti o acolhimento que precisava para enfrentar os meus desafios sem mais prejuízos, uma jornada de reconstrução do meu próprio caráter e dos meus valores. essas são as condições que Deus me deu para construir o caráter do nosso pequeno homem que é ligeiro, muito parecido conosco fisicamente, personalidade cheia das nossas características e podemos dizer que moralmente está ficando semelhante a nós também.

a sensação que me toma é do terno cuidado e amor sem fim de Deus por mim, que nas minhas aflições me fez descobrir a beleza do amor de um pai que me pareceu muito tempo muito distante, ocupado demais com seus afazeres mas que na verdade estava provendo o melhor para nós.

muito obrigada pai por permitir que Deus te use como instrumento sagrado nas mãos dEle para me dirigir nessa vida.

Te amo!!!

20180630_193651

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s