pais que não estavam lá

muitos são frutos de uma geração de pais ausentes. pais ocupados em nos dar o necessário: roupa, comida, casa e educação. pais que se esqueceram ou que não sabiam que o que mais precisávamos era apenas deles mesmos, de amor, de afeto, de simplicidade, de companhia, de ouvidos, de compreensão, de ajuda quando não sabiamos o que fazer com qualquer situação normal da vida… pais ausentes fisicamente também afetam a formação dos filhos, pois sempre há um pai e uma mãe construída na mente e dependendo de como estão construídos ali, também geram influências negativas.

relacionamentos entre pais e filhos mal resolvidos deixa sequelas bem importantes e diferentes para cada pessoa.

relacionamentos:
— o abandono fica gravado na memória e não traz bons sentimentos, assim, aprende-se que para não ser abandonado novamente é melhor não apegar-se ou receber alguém em sua vida, evitando fortemente a criação de laços aprofundados. essa é uma realidade de muitos e há sofrimento quando se busca estar com quem convém enquanto convém. tornado as pessoas ao redor descartáveis.
setimento de inferioridade em relação aos outros. os outros são sempre muito e este é sempre pouco. esse sentimento cuidado diariamente e com carinho é reforçado e garante a ela mesmo que não tem direito ao que o outro é ou tem. ter uma vida confortável não é para ela, ter uma vida financeira equilibrada não é para ela, ter um relacionamento saudável e construir uma família prospera não é para ela, nasce para ser menos e deve aceitar assim a sua sina.
— na vida profissional passa a ser uma pessoa agressiva para não dar espaço para que outros a diminuam ou a explorem. ou ainda se acha tão bom tão bom quanto Deus e sai patrolando quem aparecer em sua frente sem qualquer preocupação com o seu próximo. ou ainda se diminui e se apaga, se colocando como alguém que não tem importância ou que não faz a diferença.
— tem dificuldades com autoridade, é pronto em desrespeitar regras e não se submeter dentro do que é correto e lícito e saudável, a autoridade de outro. inclusive, tem dificuldades de entender e aceitar Deus como Pai, alguém que cuida, alguém que se interessa por todas as questões, incluindo as mais insignificantes.
— a vida financeira é uma bagunça, gasta-se de qualquer maneira, sem organização, sem planos, sem ordem. se coloca em situação complicadíssima, endividamento, sem perspectivas. aprende-se a viver uma vida que não é sua. distanciando-se ainda mais das demais pessoas por não ser capaz de ter controle como as demais tem para construir seu patrimônio e realizar os seus projetos, seja ele pequeno ou grande.

carência e solidão: a carência é construída desde a infância, sentida e expressada em intensidades diferentes por cada um. evidentemente a mulher é mais acometida desta. nós temos que nos esforçar bem mais para aprender a lidar com a carência e a solidão. todos temos necessidade de companhia. porém quando isso é feito a qualquer custo, assumindo relacionamentos nocivos, para conseguir dizer a si mesmo “pelo menos tenho alguém” é muito muito muito triste e doloroso para os envolvidos.
— usa-se o que tem como moeda de troca, na tentativa de despertar no outro o interesse para que permaneça por perto e de vez em quando ofereça um pouco de atenção para “pagar” pelo que tem consumido da fonte.
— necessidade de aprovação constante força a sair de sua essência, ou seja, ser quem não é fazendo sempre a vontade dos outros e falta coragem para dizer “assim não está bom para mim, não quero” pois se assim o fizer volta a estar sozinha novamente.
— necessidade de sentir-se aceito ou importante abre brechas para que se envolva com qualquer coisa em qualquer grupo de pessoas, mesmo em coisas ilícitas de qualquer ordem.

confusão sexual: a falta da influência positiva do pai faz com que a criança se desenvolva insegura sexualmente causando na vida dela um transtorno gigantesco, inclusive a confusão sobre hetero e homosexualismo.

compulsões das mais diversas: sexual, acumulo material, estudo, trabalho, gastos, enfim.

enfim, a lista dos efeitos colaterais da ausência dos pais é extensa, tudo em busca de preencher um vazio que ficou e não será preenchido por outras pessoas ou coisas. ter consciência disto pode trazer a oportunidade de parar a busca insana que muitas vezes tem trazido sofrimento e o resultado não será alcançado assim. só esse entendimento pode trazer a alguém boa parte da cura que precisa para que consiga ser reconstruída de maneira saudável.

se você se vê como um filho construído desta forma, pode ser a hora de aprender caminhos diferentes, não é porque foi assim até aqui que precisa continuar sendo. busque conhecimento, invista em seu próprio desenvolvimento, descubra como construir novos caminhos em sua mente.

se você é um pai ou uma mãe, repense como tem sido a sua maternidade ou paternidade. se está focado em fornecedor comida, roupa, moradia e educação, talvez esteja repetindo padrões que não dão certo e está na hora de virar o jogo, de aprender a ser companheiro dos seus filhos, de ouví-los e compreendê-los, de ajudá-los nas coisas mais bobinhas, de fazê-los sentir que não estão só, de dar a eles o suficiente para que se tornem adultos seguros e saudáveis emocionalmente, capazes de construir a sua própria vida.

busque da fonte a sabedoria e peça a Ele que te mostre o caminho para alcançar o que almeja, mesmo que para você pareça impossível, para Ele nada é. o vazio cravado na alma pelo que não recebeu de seus pais pode ser preenchido por quem tudo pode.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s